Reflexões

MARIA: modelo de esperança e certeza da graça de Deus

Autor:

“ Minha alma engrandece ao Senhor, e meu espírito exulta em Deus meu salvador, porque olhou para a humilhação de sua serva. Sim! Doravante as gerações todas me chamarão bem aventurada, pois o Todo Poderoso fez grandes coisas em meu favor. Seu nome é Santo e sua misericórdia perdura de geração em geração, para aqueles que o temem” (Lc1,46-50).

Amigos e amigas, diante desta exultação de Maria, ao chamado que Deus lhe fez, a nossa fé nos leva a creditar que nesta verdade Bíblica está contida algo de uma experiência pessoal de um Deus que se faz presente em nossa história como Palavra Encarnada: “O Verbo de Deus se Fez Carne e Habitou entre nós”, mas ao mesmo tempo ao longo da historia humana e diante das experiências das primeiras comunidades e nos dias de hoje é Palavra de salvação, Pois o próprio Jesus, Verbo encarnado é o referencial para a nossa caminhada de fé, levando-nos a creditar na ação de Deus em nossa historia dando-nos certeza da sua graça em cada um de nós.

Este mês de maio, para nós cristãos católicos é um momento especial, em que voltamos nosso coração e nossos olhos pra a pessoa de Maria, para contemplarmos nela as maravilhas que Deus realizou em sua vida, trazendo-nos a Libertação e a Salvação, diante dos sofrimentos, dificuldades e desafios da vida.

Em nossa vida pessoal e na caminhada comunitária que fazemos, é preciso reconhecer a presença de Deus e suas varias maneiras de manifestar-se a nós, em nossa realidade humana. Pois, Maria é modelo de esperança e certeza da graça de Deus em nós, não apenas, porque é “Mãe de Jesus”, a “ Mãe de Deus”, mas porque se tornou Serva e Discípula participando da obra da Criação e da Salvação. Alguém que soube corresponder em seu tempo, o chamado que o próprio Deus lhe fez.
Em seu cântico, Maria dirigi a Deus um dos mais belo louvor, reconhecendo a primazia de Deus.Deus é “Poderoso”, ela humilde serva. Deus é “Rico em Misericórdia” que se manifesta aos pobres de Israel. Maria fazia parte dos “desvalidos” de Israel, do povo pobre e humilde que o próprio Deus havia escolhido para ele.

Quando olhamos para a pessoa de Maria, e contemplamos nela a manifestação de Deus, percebemos que as manifestações, “Revelações” de Deus, não são frutos de nossas reflexões ou de nossas forças, como se Deus fosse para nós um “Fantoche” em nossas mãos fazendo aquilo que queremos, do jeito que queremos e da maneira que queremos; é antes de mais, nada uma experiência pessoal e uma contemplação da força e da graça de Deus ao longo da historia humana, como promessa e realização.
No mês de maio, diante das manifestações, coroações e gestos de gratidão humana para com Maria,não a coloquemos no lugar de Deus, mas damos a Ela uma atenção especial pelo lugar que ela ocupa na historia da Salvação. Pois ela é para nó modelo de esperança e certeza da graça de Deus em nós.

Que Maria, a Mãe de Deus, Mãe da Esperança nos faça caminhar em meios aos desafios da vida em direção ao seu Filho Jesus, que é “Caminho, Verdade e Vida”.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.requerido